No Brasil golfinhos que trabalham com humanos para pegar peixes têm um sotaque único

ANÚNCIO

Os golfinhos-nariz-de-garrafa que trabalham junto com os humanos para pegar peixes têm seu próprio apito característico, que pode ajudá-los a se reconhecerem.

Perto de Laguna, Brasil, os pescadores ficam em uma linha na altura da cintura ou esperam em canoas enquanto, mais longe, golfinhos-nariz-de-garrafa perseguem cardumes de tainha até a costa.

ANÚNCIO

Os pescadores não conseguem ver os peixes na água turva, então eles esperam que os golfinhos dêem um sinal – como um mergulho abrupto ou um tapinha na cauda – e então lançam suas redes.

InformaBicho: Golfinho-nariz-de-garrafaOs pescadores pescam peixes maiores e mais pesados ​​quando trabalham com golfinhos.

Os golfinhos provavelmente colhem benefícios semelhantes”, diz Mauricio Cantor, da Universidade Federal de Santa Catarina, no Brasil – pode ser fácil para eles devorar peixes desorientados pelas redes.

ANÚNCIO

Mas apenas alguns golfinhos, trabalhando sozinhos ou em pequenos grupos, cooperam com os humanos. Para explorar as diferenças entre golfinhos úteis e inúteis, Cantor e seus colegas gravaram os sons feitos por ambos os tipos enquanto eles forrageavam sozinhos ou com outras pessoas.

Assobie enquanto pesca

Surpreendentemente, os assobios dos golfinhos cooperativos eram diferentes dos não cooperativos, mesmo quando estavam forrageando sozinhos. Por exemplo, eles usaram menos apitos ascendentes.

Golfinhos de regiões diferentes costumam assobiar de forma diferente, diz Cantor, mas “é muito menos comum encontrar tais diferenças acústicas entre golfinhos da mesma população que habitam uma área tão pequena”.

Uma vez que os golfinhos cooperativos também assobiam de maneira diferente quando pescam sozinhos, os pesquisadores não acham que essas chamadas transmitam mensagens específicas sobre a pesca com pessoas.

Em vez disso, os apitos podem ser uma forma de os golfinhos se rotularem como membros de um determinado grupo social, diz Cantor.

Alternativamente, os golfinhos podem estar usando dialeto ou gíria. Cantor diz que é “como se eles falassem a mesma língua, mas usassem algumas‘ expressões ’exclusivas de sua comunidade social”.

Os golfinhos também usam cliques para se comunicar durante a alimentação, diz Elena Papale, do Conselho Nacional de Pesquisa da Itália. Os pesquisadores precisarão examinar os cliques, bem como os assobios, para entender melhor os estilos de comunicação dos golfinhos.

Leia também: Cientistas descobrem quatro novas espécies de tubarões que são capazes de andar

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: New Scientist 

ANÚNCIO