A história de Pelorus Jack

ANÚNCIO

Pelorus Jack, um golfinho de Risso (incomum na Nova Zelândia) que acompanhava os navios que viajavam entre Wellington e Nelson, recebeu esse nome porque encontraria barcos perto da entrada de Pelorus Sound, em Marlborough Sounds.

Percebido pela primeira vez em 1888, quando se juntou a um navio com destino a Nelson, Pelorus Jack passou os 24 anos seguintes escoltando barcos de Pelorus Sound até o traiçoeiro French Pass, um estreito trecho de água entre a Ilha D’Urville e o continente, onde a água surge em até 8 nós.

ANÚNCIO

Pelorus Jack sempre permaneceu dentro de uma área bem definida. Ele juntou-se aos barcos que se dirigiam a Nelson na entrada de Pelorus Sound e nadou até, mas nunca através do French Pass. Na jornada reversa, ele encontrou os navios que saíam da passagem, ficando com eles por 8 quilômetros até Pelorus Sound antes de seguir seu próprio caminho. Ele gostava de nadar contra os barcos e surfar nas ondas da proa.

Com o passar dos anos, sua fama cresceu e ele se tornou uma atração turística, atraindo figuras conhecidas como o escritor americano Mark Twain e o escritor inglês Frank T. Bullen.

Mas sua celebridade atraiu não apenas simpatizantes; no início dos anos 1900, alguém atirou nele de um navio a vapor. As demandas de que Pelorus Jack fosse protegido por lei levaram a uma ordem de 1904 no conselho (renovada duas vezes antes de morrer) sob a Lei de Pesca Marinha de 1894 e a subsequente Lei de Pesca de 1908. Essas ordens de proteção eram inválidas, pois nenhuma das leis cobria mamíferos marinhos, exceto selos.

ANÚNCIO

O mistério envolve a morte de Pelorus Jack. Muitos acreditaram que ele foi arpoado por baleeiros noruegueses que ancoraram perto da entrada de Pelorus Sound no final de abril de 1912. Há um relato de uma confissão anônima no leito de morte de um homem que disse ter ajudado seu pai a matar um golfinho encalhado após uma tempestade. Mais tarde, eles perceberam que era Pelorus Jack. Embora não houvesse alternativa, o homem foi assombrado por essa ação pelo resto da vida.

Charlie Moeller, que manteve a luz marinha em French Pass, afirma que Pelorus Jack foi levado até uma praia, onde sua carcaça apodreceu. Este último relato é provável; o golfinho tinha pelo menos 24 anos e provavelmente morreu de velhice.

A lenda de Pelorus Jack sobreviveu após sua morte. Uma barra de chocolate foi batizada em sua homenagem e ele é o tema de várias canções.

Leia também: População de golfinhos brancos aumentou desde o começo do isolamento social

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante

Fonte: Te Ara

ANÚNCIO