Astrônomos localizam a galáxia mais antiga e mais distante do universo

ANÚNCIO

As assinaturas químicas dão a distância para a galáxia mais distante.

Astrônomos localizam a galáxia mais antiga e mais distante do universo
Foto: (reprodução/internet)

Um grupo de astrônomos usou o telescópio Keck I para medir a distância a uma galáxia antiga. Eles deduziram que a galáxia (GN-z11) não é apenas a galáxia mais antiga, mas também a mais distante.

ANÚNCIO

A equipe espera que este estudo possa ajudar a descobrir mais sobre um período da história cosmológica quando o universo tinha apenas algumas centenas de milhões de anos.

O que os pesquisadores comprovam

Os astrônomos levam estas perguntas muito a sério, e usam ferramentas fantásticas que empurram as fronteiras da tecnologia para tentar respondê-las. 

O Professor Nobunari Kashikawa do Departamento de Astronomia da Universidade de Tóquio tem grande curiosidade sobre galáxias, então ele procurou a galáxia mais distante a fim de descobrir como e quando ela chegou a ser.

ANÚNCIO

Leia mais: Astrônomos detectam possível emissão de rádio em um Exoplaneta

“De estudos anteriores, a galáxia GN-z11 parece ser a galáxia mais distante detectável de nós, com 13,4 bilhões de anos-luz, ou 134 não milhões de quilômetros (são 134 seguidos por 30 zeros)”, disse Kashikawa. 

Como foi feita a pesquisa

Kashikawa e sua equipe mediram o que é conhecido como ‘Deslocamento da GN-z11’, que se refere à forma como a luz se estica, torna-se mais avermelhada, quanto mais longe ela viaja. 

Algumas assinaturas químicas, chamadas de espectro de emissão, imprimem padrões diferentas na luz a partir desses objetos distantes. 

Leia também: Cultivar em Marte será muito mais difícil do que “O marciano” fez parecer

Ao medir quão deslocadas são essas assinaturas, os astrônomos podem deduzir quão longe a luz deve ter viajado, dando assim a distância da galáxia que estão pesquisando.

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: Scitech Daily, Universidade de Tóquio

ANÚNCIO