Furacões futuros podem causar estragos no interior

ANÚNCIO

Os furacões do Atlântico Norte estão enfraquecendo mais lentamente do que antes, de acordo com um novo estudo na revista Nature, e está relacionado às mudanças climáticas.

Pesquisadores japoneses dizem que aqueles que se desenvolvem em oceanos mais quentes carregam mais umidade e, portanto, permanecem mais fortes por mais tempo. Existe, portanto, um risco real de que no futuro eles atinjam comunidades mais para o interior e sejam mais destrutivos.

ANÚNCIO

Estudos anteriores mostraram que as mudanças climáticas podem intensificar os furacões em oceano aberto, mas este é o primeiro, dizem os pesquisadores, a estabelecer uma ligação entre o aquecimento do clima e o subconjunto menor de furacões que atingiram a costa.

“Sabemos que as áreas costeiras precisam se preparar para furacões mais intensos, mas as comunidades do interior, que podem não ter o know-how ou a infraestrutura para lidar com ventos tão intensos ou chuvas fortes, também precisam estar preparadas”, diz Pinaki Chakraborty, da Universidade de Graduação do Instituto de Ciência e Tecnologia de Okinawa.

Chakraborty e seu colega Lin Li analisaram dados de tempestades que atingiram a América do Norte entre 1967 e 2018 e, em seguida, usaram a diminuição da intensidade da tempestade para definir uma escala de tempo de decadência. Eles relatam que, embora os furacões provavelmente diminuíssem em 75% em um dia após a chegada da terra há meio século, hoje são apenas 50%.

ANÚNCIO

“Quando plotamos os dados, pudemos ver claramente que o tempo que um furacão leva para enfraquecer estava aumentando com os anos”, disse Li. “Mas não era uma linha reta – era ondulante – e descobrimos que esses altos e baixos correspondiam aos mesmos altos e baixos vistos na temperatura da superfície do mar.”

A dupla criou simulações de computador de quatro furacões diferentes, definindo diferentes temperaturas para a superfície do mar. Depois que cada furacão virtual atingiu a intensidade da categoria 4, eles simularam uma queda de terra cortando o suprimento de umidade por baixo.

Furacões futuros podem causar estragos no interior
Foto: (reprodução/ internet)

Eles descobriram que, embora cada furacão simulado tenha atingido a costa com a mesma intensidade, os que se desenvolveram em águas mais quentes demoraram mais para enfraquecer. Usando simulações adicionais, eles descobriram que a “umidade armazenada” era o elo que faltava.

Quando os furacões atingem o continente, eles carregam um estoque de umidade que se esgota lentamente. Quando Chakraborty e Li criaram furacões virtuais sem umidade armazenada após atingirem a terra, eles descobriram que a temperatura da superfície do mar não tinha mais nenhum impacto na taxa de decomposição.

“Isso mostra que a umidade armazenada é o fator chave que dá a cada furacão na simulação sua própria identidade única”, diz Li. “Furacões que se desenvolvem sobre oceanos mais quentes podem absorver e armazenar mais umidade, o que os sustenta por mais tempo e evita que enfraqueçam tão rapidamente”.

Mais umidade armazenada também torna os furacões “mais úmidos”, talvez explicando por que alguns furacões recentes desencadearam grandes volumes de chuva.

“Os modelos atuais de decomposição de furacões não consideram a umidade: eles apenas veem os furacões que atingiram a costa como um vórtice seco que se esfrega contra a terra e é retardado pelo atrito”, diz Li. “Nosso trabalho mostra que esses modelos estão incompletos, e é por isso que essa assinatura clara da mudança climática não foi capturada anteriormente.”

Em um comentário relacionado na Nature, Dan Chavas e Jie Chen da Purdue University, EUA, observam que a extensão dos danos que ocorrem no interior depende tanto da taxa de decomposição da tempestade quanto da velocidade do movimento da tempestade no continente.

“Consequentemente, uma decadência mais lenta também pode levar a aumentos nos danos mais para o interior, embora as mudanças na velocidade do movimento continuem sendo um ponto de discórdia”, escrevem eles.

 “Tempestades de vida mais longa também podem aumentar as chances de interação com a corrente de jato, que às vezes pode produzir clima perigoso que pode se estender muito mais para o interior.”

Leia Também:Injeções de proteínas nos testículos podem tratar a infertilidade masculina

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte:Cosmos

ANÚNCIO