Homem rouba espada de General Revolucionário de Guerra e devolve após 40 Anos

ANÚNCIO

Alguns bandidos tem seus planos tão meticulosamente elaborados, que os policiais nunca são capazes de prendê-los. Por exemplo, um estudante universitário que em 1980 escapou sem consequências por um ato de roubo muito público.

Homem rouba espada de General Revolucionário de Guerra e devolve após 40 Anos
Foto: (reprodução/City of Westfield)

Mais precisamente, ele roubou uma espada de uma estátua de um herói da Guerra Revolucionária Americana. A estátua do General William Shepard, localizada em Westfield, Massachusetts, nos Estados Unidos perdeu sua espada de bronze em algum momento no início dos anos 80.

ANÚNCIO

Neste caso, porém, o crime ficou por resolver devido à indiferença do público. Os locais nem notaram que a espada estava desaparecida até 1981. Mas agora, 40 anos depois, o caso foi finalmente resolvido e a espada retornou aos seus legítimos proprietários. E isso só aconteceu porque o ladrão se entregou.

O roubo da espada de bronze

Um homem do leste de Massachusetts devolveu a espada à Comissão Histórica de Westfield (WHC) como um presente de Natal atrasado. 

A presidente da WHC, Cindy P. Gaylord disse que o homem – a quem ela concedeu o anonimato como cortesia – ficou muito perturbado com sua proeza de décadas.

ANÚNCIO

“Ele tinha muita vergonha e remorso”, disse Gaylord ao site MassLive.

Um crime quase perfeito

O roubo da espada aconteceu em algum momento em 1980. Mas não foi até dezembro de 1981 que os jornais locais em Westfield documentaram o roubo.

Homem rouba espada de General Revolucionário de Guerra e devolve após 40 Anos
Foto: (reprodução/Cindy P. Gaylord/CNN)

De acordo com Gaylord, o WHC – dedicado a preservar a história local – não notou que a espada havia desaparecido durante meses. Eles perceberam que ela havia desaparecido apenas um mês antes da mídia local, em novembro de 1981.

O ladrão, na época um jovem estudante universitário recém saído do exército, vivia em Broad St na cidade de Westfield, em frente à estátua do General Shepard. Em sua confissão a Gaylord, ele admitiu que estava longe de ser um estudante modelo.

“Ele confessou plenamente que não era um bom estudante, e que trabalhava em um dos bares do centro”, disse Gaylord. Aparentemente, ele gostava de passar mais tempo no bar do que em uma sala de aula.

Uma brincadeira com grandes consequências

Uma noite, o ladrão de espadas estava indo para casa do bar com alguns de seus amigos. Talvez todos eles tivessem bebido demais, e quando passaram pela estátua, tiveram uma ideia para uma brincadeira. Não seria engraçado se eles pegassem a espada que a estátua estava segurando? Bem, eles com certeza pensaram que sim.

Nosso ladrão sem nome subiu no pedestal e arrancou a espada, e Gaylord não pôde deixar de perguntar como ele conseguiu tal proeza. “Ele disse que era apenas força bruta'”, contou Gaylord.

Mas nem tudo correu como planejado. A espada saiu com tal força que nosso ladrão caiu para trás do pedestal, quase se inclinando no processo.

Uma espada vale mais que mil palavras

Ele decidiu fazer o que parecia ser o curso de ação para ele na época – nada. Um ano depois, nosso ladrão abandonou a faculdade e a espada foi com ele para a casa de seus pais.

Seus pais, disse Gaylord, nunca perguntaram de onde vinha a espada.

Leia também: Mergulhadores que exploram o Titanic tornaram uma nova descoberta “profundamente chocante”?

“Ele me disse: ‘Eles me conheciam, e sabiam que não deveriam perguntar’. Então a espada pairou sobre a porta da família por anos”, disse ela. Algum tempo atrás, o homem e sua irmã estavam vasculhando os pertences da família. Foi quando ele mais uma vez ficou cara a cara com seus erros de décadas atrás.

“Ele me disse: ‘Eu estava tão cheio de remorso e vergonha’. Aqui estou eu, um veterano condecorado, e fiz isto a outro veterano”, contou Gaylord.

Fazendo a coisa certa

Para tentar corrigir as coisas, o homem chamou o WHC. Foi quando Gaylord entrou originalmente em contato com ele. “Sua mensagem era muito crítica. Ele disse que estava em posse de algo que pertencia a Westfield e queria devolvê-lo”, disse Gaylord ao MassLive.

Leia mais: Depois de 50 anos, hippies são bem-vindos em um condado da Indiana

O homem queria se encontrar pessoalmente para fazer reparações. A curiosidade de Gaylord atingiu seu auge, e assim ela concordou em conhecê-lo. 

“Ele obviamente sentiu que precisava ser repreendido pelo que tinha feito todos aqueles anos atrás. Eu lhe disse: ‘Você é homem o suficiente para fazer a coisa certa'”, disse Gaylord. E assim, o homem devolveu a espada ao WHC, 40 anos depois de roubá-la de um monumento histórico.

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: ODDEE, MassLive

ANÚNCIO