Mictórios capazes de produzir fertilizantes com urina, são instalados em Amsterdam

ANÚNCIO

Cite duas coisas que primeiro vêm à sua mente quando você ouve o nome Amsterdam. Se você pensou em maconha e no Distrito da Luz Vermelha, você é como a maioria das pessoas.

Bem, agora você pode adicionar xixi público a essa lista. Com o coronavírus fechando a maioria dos bares e outros locais públicos, as pessoas tiveram que se aliviar em toda Amsterdã.

ANÚNCIO

Então, quando a cidade se abriu ao público novamente, os foliões barulhentos voltando para casa depois de alguns drinques começaram a fazer xixi ainda mais.

A situação ficou tão ruim que os funcionários da cidade tiveram que fazer algo a respeito.

Então, eles investiram quase US $ 60.000 em uma solução bastante típica de Amsterdã, urinóis de vasos de plantas cheios de maconha, na verdade são cânhamos industriais.

ANÚNCIO

No total, 12 urinóis GreenPee, fabricados por uma empresa holandesa de mesmo nome, foram instalados no Distrito da Luz Vermelha  e em outras atrações turísticas.

O inventor do GreenPee, Richard de Vries, disse ao Independent que o mictório nasceu de uma preocupação com a cidade e o meio ambiente.

Fazer xixi na parede vai danificar prédios históricos. É sujo, anti-higiênico e atrai moscas ”, disse de Vries.

Tivemos a ideia de um plantador para ajudar a manter a cidade verde e fornecer algo a partir do qual possamos fazer fertilizante.”

Da colheita do xixi à colheita das ervilhas

Na verdade, os GreenPees fornecem um fertilizante útil que pode ser usado na agricultura. E é produzido por meio de processos totalmente naturais movidos a xixi.

Conforme o usuário se alivia , o xixi corre para um tanque interno, diz a empresa GreenPee. Este tanque está cheio de fibras de cânhamo das plantas que crescem nele.

O cânhamo atua como um neutralizador de odores, o que mantém o GreenPee com cheiro da natureza fresco o tempo todo. Assim que o tanque estiver cheio, a mistura de fibras de xixi e cânhamo é removida do tanque.

Após a compostagem, a mistura de cânhamo-urina torna-se um fertilizante orgânico rico em sulfatos”, diz a empresa.

Mais importante ainda, o fertilizante contém bastante fosfato. É um mineral extremamente importante para as plantas agrícolas, sendo usado pelos agricultores em todo o mundo.

No entanto, as maiores áreas de mineração de fosfato na China e no Marrocos estão gradualmente começando a ficar vazias, diz GreenPee. Portanto, o mictório vegetal atende a uma necessidade urgente de aliviar a falta de fosfato do mundo.

Vários agricultores africanos já testaram os benefícios potenciais dos fertilizantes enriquecidos com urina com resultados muito positivos”, diz GreenPee.

A produção de vegetais era duas vezes maior do que quando se usava um fertilizante normal sem urina.”

Leia também: O que tem levado o Estados Unidos a importar papel higiênico do México?

Grandes ambições

O GreenPee parece estar causando um impacto positivo não apenas na agricultura africana.

Durante um teste inicial executado com quatro mictórios GreenPee, a micção pública na praça Rembrandtplein de Amsterdã diminuiu 49%, relata DutchNews.nl.

Um estudo mostrou que os GreenPees não criam problemas de cheiro. Os novos GreenPees também foram desenvolvidos e aprimorados em termos de sustentabilidade, privacidade do usuário, reconhecimento e descoberta ”, disse a cidade de Amsterdã em um comunicado à imprensa.

Saïd Arabi, que dirige a empresa Euro Super Clean que ajudou a instalar os mictórios, disse ao DutchNews.nl que estava animado com os novos mictórios verdes.

É uma boa solução para fazer xixi selvagem. A cidade de Arnhem também está interessada. É um vaso de plantas e o mictório só abre à noite, quando está escuro. É perfeito ”, disse Arabi.

De Vries provavelmente agradece a notícia o interesse de outras cidades em seu produto. Afinal, ele tem grandes planos para isso.

Minha ambição é colocá-los em diferentes cidades e continuar inovando. Podemos fazer eletricidade com a urina e seria bom se isso pudesse alimentar uma luz. Talvez pudesse ser um quadro de anúncios da cidade para mensagens de saúde pública também ”, disse ele ao DutchNews.nl.

Competição rígida

Se de Vries deseja uma participação maior de mercado para seu produto, é melhor se apressar. Outras empresas estão se expandindo em outras partes do mundo, e há tantos mictórios que cabem em uma cidade.

A empresa dinamarquesa Lapee está se expandindo rapidamente na França. Se o nome deles não o alertou, o Lapee está competindo com o GreenPee com mictórios públicos inovadores.

Em junho, a cidade de Rennes, no noroeste da França, instalou os mictórios de Lapee destinados às mulheres, escreveu Dezeen. Fale sobre inclusão.

“O Lapee se encaixa perfeitamente com os regulamentos de higiene do verão e do COVID-19”, disse a cofundadora da Lapee, a arquiteta Gina Périer.

O estúdio de design francês Faltazi também instalou seus mictórios de compostagem Uritrottoir Chambéry no início deste verão. Como o GreenPee, esses mictórios produzem uma mistura de matéria vegetal e xixi que pode ser processada posteriormente.

Eles também causaram uma cena quando foram instalados em Paris em 2018. Os moradores locais chamaram os mictórios públicos de “imodestos” e alegaram que eles “encorajavam o exibicionismo”.

Esse é o inicio , para europeus, de uma nova era de cheirosa e ecológica.

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: Oddee

ANÚNCIO