Sudoeste da Louisiana é obrigado passar por um novo isolamento social, dessa vez por culpa de uma nuvem de mosquitos

ANÚNCIO

Se você vivesse em uma história de terror, poderia ter um vampiro espalhando medo em sua área natal. A criatura sugadora de sangue da noite não deixará em seu rastro nada além de cadáveres drenados de sangue.

Isso já é ruim o suficiente, mas e se não fosse apenas um vampiro? E se, em vez disso, você tivesse nuvens abundantes de pequenos vampiros voando por aí?

ANÚNCIO

Infelizmente para os residentes da Louisiana, eles foram lançados no meio dessa história de terror. Em uma área de cinco paróquias no sudoeste da Louisiana há uma novem de mosquitos aterrorizando os moradores.

Os zumbidos sugadores de sangue surgiram após as chuvas que o furacão Laura trouxe para a região. Como se a destruição generalizada provocada pela própria tempestade não fosse suficiente.

As larvas do mosquito vivem na água e, como tal, as chuvas torrenciais de Laura foram uma bênção para os insetos. As enormes poças estagnadas deixadas para trás pelas chuvas foram os principais locais de desova dos mosquitos.

ANÚNCIO

Jeremy Hebert, agente da AgCenter da Louisiana State University, disse ao USA Today que os residentes do estado de Bayou estão acostumados com a presença dos mosquitos.

O litoral pantanoso e úmido do estado é e sempre foi um país de mosquitos. Se você perguntasse aos habitantes locais, eles diriam que pequenas pragas sempre aparecem em grande número depois da chuva.

Mas o que vimos desde Laura é algo totalmente diferente.

Nunca experimentei nada parecido”, disse Hebert ao USA Today.

O som da morte é o zumbido de um milhão de pequenas asas.

Aproveitadores e cruéis

As nuvens de mosquitos são tão densas que as autoridades estão recomendando que os habitantes locais tomem as devidas precauções. Herbert diz que camisetas e shorts estão na lista proibida e recomenda que todos na área usem calças e mangas compridas.

Assim que você sair, suas pernas ficarão pretas com a quantidade de mosquitos”, disse ele.

Mas embora os humanos possam encobrir, a história é diferente para o gado dos fazendeiros da Louisiana. Por estarem presos do lado de fora, não têm proteção contra os mosquitos.

Na verdade, os insetos sanguinários são tão numerosos que seus enxames se tornaram letais. Centenas de animais , mesmo grandes como vacas, touros, cavalos e veados, morreram nas mãos dos mosquitos.

Nas mãos? À mercê de suas probóscides? Proboscii? Com licença, isso não é assunto para piadas.

As nuvens de mosquitos cobrem completamente os animais. O terrível número de mordidas os deixa anêmicos e com sangramento sob a pele, disse o Dr. Craig Fontenor, veterinário de animais grandes da Louisiana, à Associated Press.

O que é pior, os animais continuam andando em uma tentativa fútil de fugir dos enxames. Sem oxigênio, eles logo se exaurem e sucumbem à perda de sangue.

Eles são uns idiotas perversos”, disse Fontenot à Associated Press no que vamos descrever como um eufemismo.

De acordo com Fontenot, possivelmente 400 ou mais cabeças de gado foram mortas nas áreas afetadas pelo mosquito. Um criador de veados, disse ele, perdeu 30 de seus 110 animais, custando-lhe mais de US $ 100.000.

Mesmo os animais que sobreviveram podem enfrentar problemas de saúde ao longo da vida. Claro, eles estão vivos, mas a que custo?

Leia também: Curiosidades que talvez você não saiba sobre tornado

Apoio aéreo de entrada

Em algumas das freguesias ainda afetadas, os agricultores e as autoridades começaram a realizar pulverizações aéreas de inseticida para controlar os insetos.

A pulverização diminuiu tremendamente as populações. Isso faz uma diferença noite e dia”, disse Hebert à Associated Press.

Os proprietários de cavalos têm tido mais facilidade com os mosquitos, já que seus animais ficam principalmente nos estábulos. Aplicar inseticidas é muito mais fácil em espaços fechados.

Os pecuaristas, por outro lado, ainda estão lutando. Além das pulverizações, as autoridades estão recomendando o uso de ventiladores e cobrindo os animais com roupas de proteção especiais e cobertores.

No entanto, essas não são soluções infalíveis. O fluxo de ar do ventilador tem um alcance limitado, e a veterinária da AgCenter, Dra. Christine Navarre, avisa que no calor do final do verão, as coberturas dos animais podem causar estresse por calor.

De acordo com Navarre, também existem inseticidas que podem ser aplicados diretamente nos animais.

“Basicamente, existem muitos produtos que podem ser aplicados nos animais, seja em spray, spot-on ou com massagem nas costas. Dependerá do que está disponível localmente e do que funciona para a situação ”, disse Navarre ao ARY News.

Pragas históricas

Embora as nuvens de mosquitos vistas agora estejam em uma escala maciça, não é a primeira vez que furacões dão origem a insetos em enxame. A mesma coisa aconteceu em Louisiana, Texas, e em outros lugares com o furacão Rita em 2005 e o furacão Lili em 2002, diz Fontenot.

No Texas, por exemplo, o número de mosquitos do capim salgado aumentou tanto depois de Rita que tornou a vida incrivelmente difícil para os trabalhadores que tentavam reparar os danos da tempestade. Como resultado, o comissário do condado de Jefferson, Mark Domingue, convocou a Força Aérea dos Estados Unidos para ajudar com os insetos.

Na época, Domingue disse ao Houston Chronicle que as populações de mosquitos são calculadas observando-se quantos insetos pousam em uma coxa humana exposta em três minutos.

Normalmente, esse número é algo em torno de três a cinco. Em 2005, partes do Texas relataram números que variam de 65 a 200.

Não admira que precisassem de intervenção militar para controle dos mosquitos com inseticida.

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: Oddee

ANÚNCIO