Criamos mais do que a Terra cresceu

ANÚNCIO

Entre suas outras distinções duvidosas, o ano de 2020 marca o ponto de inflexão aproximado entre a massa antropogênica e a biomassa viva, dizem os cientistas.

A equipe israelense calculou que a massa dos produtos feitos pelo homem excede a de todas as plantas, micro organismos, pessoas e animais da Terra.

ANÚNCIO

E essa massa agora está dobrando a cada 20 anos, eles escrevem na revista Nature. Nessa taxa, pode ser mais do que o triplo da biomassa seca da Terra em 2040.

Definida como “a massa embutida em objetos sólidos inanimados feitos pelo homem (que ainda não foram demolidos ou retirados de serviço)”, a massa antropogênica inclui infraestrutura e produtos feitos de concreto, asfalto, tijolos, metais, vidro e plástico.

Comparações praticas 

Os materiais de construção compreendem a grande maioria dele, e a massa de construção e infraestrutura recentemente ultrapassou a de todas as árvores e arbustos

ANÚNCIO

Os produtos de plástico superam todos os animais terrestres e marinhos juntos.

Os pesquisadores, liderados por Emily Elhacham do Instituto Weizmann, estimam que a massa produzida pelo homem na cidade de Nova York é aproximadamente igual à de todos os peixes do mundo, e a Grande Pirâmide de Gizé do Egito é igual a uma floresta temperada do tamanho de Kyoto, Japão.

Leia Também: Este truque brilhante vai devolver uma garrafa de champanhe à sua glória borbulhante

Eles calculam que a Torre Eiffel pesa tanto quanto os 10.000 rinocerontes brancos restantes do mundo.

A equipe combinou dados de outras pesquisas para fazer suas comparações e criar uma imagem completa da massa humana e biológica do mundo, estimada desde o início do século passado em teratoneladas (cada uma equivalente a 1000 gigatoneladas).

Uma grande parte do nosso impacto resultou da diminuição da biomassa viva. Estima-se que reduzimos a massa vegetal pela metade por meio do desmatamento e outras mudanças no uso da terra, de cerca de dois teratonelados para um, desde a primeira Revolução Industrial.

Em 1900, relata a equipe, a massa antropogênica compreendia 3% da biomassa da Terra. 

Demorou apenas 120 anos para ultrapassar 100%.

Tendências nocivas

Algumas tendências que eles destacam incluem a substituição de tijolos por concreto para construção em meados da década de 1950 e o uso do asfalto como material fundamental para estradas a partir da década de 1960. 

Criamos mais do que a Terra cresceu
Foto: (reprodução/ internet)

Outras mudanças ocorreram após eventos globais, como guerras mundiais e crises econômicas.

Mais notavelmente, aumentos contínuos na massa antropogênica, chegando a mais de 5% ao ano, marcam o período imediatamente após a Segunda Guerra Mundial”, escrevem eles. 

“Este período, frequentemente denominado de Grande Aceleração, é caracterizado por maior consumo e desenvolvimento urbano.”

Os autores acrescentam que seu estudo oferece uma nova dimensão para nossa compreensão dos impactos humanos no planeta e as ramificações abrangentes para habitats naturais, biodiversidade e ciclos climáticos e biogeoquímicos, cimentando nossa notoriedade na época atual.

Ele “fornece uma caracterização quantitativa simbólica e baseada em massa do Antropoceno”, diz o autor sênior Ron Milo.

“Dadas as evidências empíricas sobre a massa acumulada de artefatos humanos, não podemos mais negar nosso papel central no mundo natural. Já somos um jogador importante e com isso vem uma responsabilidade compartilhada. ”

Traduzido e editado por equipe: Isto é Interessante 

Fonte: Cosmos Magazine 

ANÚNCIO