Esqueleto de mamute siberiano encontrado com tendão ainda preso

ANÚNCIO

Encontrar os esqueletos de nossos predecessores na Terra é raro. Tipo, muito raro. Os paleontólogos descobriram apenas alguns milhares de esqueletos de dinossauros que representam entre três e quinhentas espécies.

Isso vem de um grupo de animais que povoou a Terra por 175 milhões de anos. Em comparação, os humanos existem há apenas 200.000 anos. Portanto, é muito emocionante quando encontramos esses ossos antigos.

ANÚNCIO

Fragmentos de osso com tendão ainda preso

Pastores de renas na região de Iamália-Nenétsia da Sibéria encontraram ossos de um mamute peludo no Lago Pechevalavato.

Os fragmentos incluíam partes de um crânio, mandíbula e pé com tendões ainda presos. A maioria dos mamutes do mundo morreu há 10.000 anos, o que significa que coabitaram com humanos por milhares de anos.

Na Sibéria, acreditam os cientistas, rebanhos cada vez menores sobreviveram às mudanças climáticas da Terra por mais 6.500 anos.

ANÚNCIO

Civilizações antigas caçavam os animais para se alimentarem e usavam seus ossos e presas para fazer ferramentas, arte e até mesmo casas.

Não mudou muito nos dez mil anos desde que foram extintos. As pessoas ainda desejam marfim de mamute, criando uma tábua de salvação econômica para a Sibéria.

As presas que emergem do permafrost da Sibéria à medida que o mundo continua a aquecer podem atingir mais de 4 metros de comprimento e pesar aproximadamente 70 Kg. Para os caçadores de presas com sorte o suficiente para encontrá-los, presas intactas valerão até US $ 60.000.

O comércio de marfim de mamute é legal

Ao contrário do marfim de seus primos ainda vivos, mas por quanto tempo, os elefantes, o comércio de presas de mamute é legal.

Presumivelmente, a esperança era que o marfim de mamute reduziria a demanda por presas de elefante e daria aos animais uma folga dos caçadores furtivos. Mas vasculhar as ilhas siberianas na esperança de tropeçar em uma presa é um trabalho brutal, com chances menos previsíveis de sucesso do que a caça ilegal.

As temperaturas do verão na região agora chegam a temperaturas mais altas. No entanto, o inverno ainda dura mais de 250 dias no ano. Os caçadores de presas têm pouco mais de três meses para encontrar e desenterrar sua presa a cada ano.

Os pastores de renas não estavam, ativamente, procurando por presas ao longo da margem do lago. E embora os ossos sejam valiosos para a comunidade científica, eles não trazem a mesma recompensa monetária que o marfim.

Os cientistas estão procurando no lodo mais fragmentos de ossos – quanto mais completo o esqueleto, mais eles podem aprender sobre as criaturas pré-históricas.

A ironia é que os cientistas estão aprendendo mais sobre mamutes conforme o degelo do permafrost da Sibéria com as mudanças climáticas. A mesma coisa que encalhou os últimos rebanhos nas ilhas costeiras da Sibéria e causou a extinção da espécie há milhares de anos.

Leiam também: Fungos que tiraram um cochilo de 100 milhões de anos

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: Oddee

ANÚNCIO