Você conhece Marvin Pipkin?

ANÚNCIO

Marvin Pipkin, da National Electric Lamp Association da General Electric, ou NELA Park, Cleveland Ohio, inspecionando lâmpadas Frosted and Q-Coated Lamps, 1949.

A geada interna das lâmpadas é obtida por corrosão ácida do interior da lâmpada. Este método de geada foi concebido em 1925 por Marvin Pipkin (1889 – 1977) e substituiu o método mais antigo de geada externa. 

ANÚNCIO

Como observado antes, as lâmpadas claras (ou transparentes) emitiam uma luz forte que era irritante e desconfortável para muitas pessoas, lançavam sombras nítidas e até apresentavam uma condição perigosa, tornando difícil enxergar nas proximidades da lâmpada. 

Tentativas de reduzir esse brilho foram feitas por muitos inventores com métodos como pintar a lâmpada de branco e até mesmo parcialmente ou totalmente congelar a parte externa da lâmpada. 

A geada interna também foi tentada por muitos inventores antes de 1925. Todos eles falharam, no entanto, uma vez que a geada dentro de uma lâmpada a tornava “tão quebradiça quanto uma casca de ovo“. 

ANÚNCIO

Foi preciso o gênio de um químico brilhante chamado Marvin Pipkin (1889 – 1977) para criar uma lâmpada interna fosca que reduziria o brilho, mas não interromperia os impactos nem absorveria a maior parte da luz do filamento brilhante.

O método mais antigo de geada externa não era muito popular, pois deixava as lâmpadas com uma superfície externa áspera que estava propensa a quebrar, acumulando poeira e emitindo menos luz. O método mais recente de geada interna desenvolvido por Marvin Pipkin resultou em uma superfície interna com pequenas covinhas lisas que permitiam à lâmpada difundir sua luz, mas também reter sua força e, portanto, não quebraria tão facilmente quanto as lâmpadas exteriores mais antigas. As lâmpadas congeladas mais novas também emitiam menos brilho e um brilho mais suave do que as lâmpadas transparentes e eram fáceis de limpar.

Aqui está o furo completo sobre o desenvolvimento de Marvin Pipkin da Lâmpada de Luz Geada Interna durante a estrondosa década de 1920:

“Em 1917, durante a Primeira Guerra Mundial, o Sr. Pipkin, com seu recém-obtido diploma em química, foi trabalhar para o Exército dos Estados Unidos desenvolvendo métodos para combater a guerra do gás. 

Ele trabalhou como cientista do governo dos Estados Unidos nas instalações da National Electric Lamp Company (NELA Park) da General Electric em Cleveland, Ohio. Quando a guerra terminou, Marvin foi contratado pela NELA Park como engenheiro químico

Conforme a história continua, em 1925 ele recebeu a tarefa de criar uma lâmpada forte e fosca por dentro. Essa tarefa quase sempre foi atribuída a cada novo cientista ou engenheiro que entrou pela primeira vez no NELA Park, segundo todos os relatos como uma piada, porque ninguém jamais acreditou que uma lâmpada congelada interna pudesse ser criada

Você conhece Marvin Pipkin?
Foto: (reprodução/ internet)

E, claro, nenhum deles jamais havia conseguido. Mas Marvin, apesar das probabilidades e para o espanto de seus colegas de trabalho, encontrou a solução após várias semanas de tentativa e erro.

“Ele começou com o método usado por muitos dos cientistas antes dele – borrifar ácido dentro do bulbo para gravar seu interior. Isso, é claro, resultou em uma lâmpada congelada interna, mas com uma superfície interna muito áspera. Sob um microscópio, a superfície apareceu como pequenas mas agudas, fendas ou buracos irregulares.

Mas o processo de Marvin não poderia parar por aí, pois como uma boa engenharia atestará, qualquer objeto, seja uma janela de vidro, uma viga de aço, uma haste de madeira ou um prato de porcelana, que tenha uma fratura acentuada ou cavidade como uma rachadura ou entalhe, por natureza tem um ponto fraco.

E este ponto é o elo mais fraco na cadeia de força do objeto. Como tal, o objeto se quebrará facilmente se for aplicada tensão suficiente a ele, especialmente nas proximidades da rachadura ou entalhe. 

Assim, o bulbo interno de vidro fosco, com suas fendas minúsculas, mas agudas e irregulares, é muito fraco. E a menor pressão ou impacto no bulbo tornará sua estrutura instável e quebrará imediatamente.

Os cientistas e inventores anteriores que haviam tentado antes fazer uma lâmpada congelada no interior sempre e erroneamente concluíram que uma segunda aplicação de ácido no interior apenas enfraqueceria ainda mais o bulbo. Mas não Marvin. É aqui que entra o próximo processo de geada interna do Marv. Para fortalecer o bulbo, Marv criou outra solução ácida, desta vez com uma mistura diferente de produtos químicos. A aplicação dessa nova mistura de ácido no interior fundiu as minúsculas fendas afiadas em covinhas suaves que reforçaram o vidro.”

“A história continua que Marv decidiu usar um pouco de seu humor seco para demonstrar a força da lâmpada para seu gerente, um certo Sr. Enfield. Ele foi ao escritório de Enfield segurando seis lâmpadas geladas internas em suas mãos, algumas tendo sido tratadas apenas com a primeira aplicação de ácido e as lâmpadas restantes com o subsequente tratamento de fortalecimento. 

Ele então os colocou todos na mesa de seu gerente e os virou, um após o outro, para estimular o bater das lâmpadas, um processo de manuseio típico por muitas pessoas. As primeiras lâmpadas, novamente tratadas apenas com a primeira aplicação de ácido, se estilhaçaram facilmente como esperado, espalhando cacos de vidro na mesa de Enfield. 

No entanto, os bulbos restantes com o segundo tratamento de reforço, facilmente retiveram sua integridade estrutural quando tombados e permaneceram intactos. Mas esse não foi o fim da demonstração de Marv. 

Você conhece Marvin Pipkin?
Foto: (reprodução/ internet)

Marvin então pegou as lâmpadas inteiras e, de maneira confiante, mas aparentemente torta, jogou-as direto no chão do escritório. As lâmpadas não quebraram, mas permaneceram intactas, quicando várias vezes. 

Marvin havia criado com sucesso uma lâmpada forte e fosca com difusão de luz quase perfeita, outro marco na história da iluminação. E, apesar do vidro quebrado na mesa de seu gerente, Marvin não foi demitido, mas, em vez disso, foi premiado com o honrado e prestigioso prêmio Charles Coffin por sua descoberta. 

Ele continuou a trabalhar na NELA por muitos mais anos e, eventualmente, criou a lâmpada Soft-White quase 25 anos depois. ”

Leia Também:Conheça NARWHAL, O Cachorro “Unicórnio”

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: Internet Achive

ANÚNCIO