Podemos controlar onde o raio cai?

ANÚNCIO

A tecnologia pioneira de laser poderia ser usada para domar raios e controlar onde eles atingem o solo, de acordo com uma equipe internacional de cientistas.

Os relâmpagos secos deram início a muitos dos incêndios florestais devastadores do “verão negro” da Austrália de 2019-20, mas se pudéssemos controlar artificialmente o caminho e a direção dos raios, o risco de incêndio poderia ser drasticamente reduzido.

ANÚNCIO

Uma nova tecnologia de raio trator a laser, descrita em um artigo na revista Nature Communications, pode ser a resposta.

Em um experimento de laboratório, a equipe usou um feixe de laser para capturar e aquecer micropartículas de grafeno no ar entre duas placas metálicas. Isso criou um canal aquecido que induziu raios e permitiu que a descarga elétrica fluísse em direção a um alvo pré-definido.

“O experimento simulou condições atmosféricas semelhantes às encontradas em raios reais”, diz Vladlen Shvedov, co-autor do estudo da Universidade Nacional da Austrália.

ANÚNCIO

“Podemos imaginar um futuro onde esta tecnologia pode induzir descarga elétrica ao passar um raio, ajudando a orientá-lo para alvos seguros e reduzir o risco de incêndios catastróficos.”

Essa ideia não é nova: pesquisas anteriores usaram feixes de laser para criar colapsos elétricos atmosféricos, mas essas tentativas exigiram infraestrutura em escala industrial.

Podemos controlar onde o raio cai?
Foto: (reprodução/ internet)

“Essa técnica e a manipulação subsequente da descarga exigiram uma quantidade enorme de intensidade do laser, limitando o uso prático por causa das restrições de segurança, controle e precisão”, diz outro co-autor, o físico Andrey Miroshnichenko da UNSW Canberra

Neste estudo, porém, adicionar micropartículas à mistura permitiu à equipe reduzir a intensidade do feixe de laser em mil vezes, induzindo raios por meio de um dispositivo com o tamanho e a saída de um típico apontador laser.

“Temos um fio invisível, uma caneta com a qual podemos escrever luz e controlar a descarga elétrica com cerca de um décimo da largura de um cabelo humano”, diz Miroshnichenko.

Isso, combinado com o fato de que a descarga pode ser controlada com precisão em longas distâncias, significa que a futura tecnologia de captura de raios pode ser segura, precisa e barata.

Mas, primeiro, a pesquisa deve ser levada do laboratório para o campo

“Nosso maior desafio não é induzir os raios do meio ambiente, mas ser capaz de capturar e aterrar a carga de uma maneira eficaz e útil”, explica Miroshnichenko.

“Isso levará algum tempo para desenvolver os sistemas necessários para lidar com uma carga elétrica tão grande. Acreditamos que dentro de cinco anos teremos estações de campo operacionais e produção total em uma década. ”

A equipe observa que essa tecnologia também pode ser usada para controlar com precisão descargas elétricas em aplicações de medicamentos e manufatura.

“As aplicações médicas incluem bisturis ópticos para a remoção de tecido canceroso duro para técnicas de cirurgia não invasivas”, diz Miroshnichenko.

“Estamos realmente começando a aprender o que essa tecnologia completamente nova pode significar
 

Leia Também:Injeções de proteínas nos testículos podem tratar a infertilidade masculina

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: Cosmos Magazine 

ANÚNCIO