Raro “cachorro cantor”, considerado extinto há 50 anos, reaparece na natureza

O cão “cantor” da Nova Guiné, que se pensava estar extinto na natureza, reapareceu após 50 anos.

A raça rara, conhecida por seus uivos únicos, foi encontrada nas terras altas do oeste da Nova Guiné, também conhecida como Papua, na Indonésia.

Os animais foram descobertos lá pela primeira vez em 2016, no entanto, os pesquisadores acabaram de publicar evidências mostrando que eles são cães “cantores”.

Um artigo de jornal comparando o DNA de três dos 15 cães selvagens foi publicado na segunda-feira

Cerca de 200 cães ‘cantores’, cujos ancestrais foram capturados na década de 1970, vivem em zoológicos e centros de conservação.

Seus genomas não eram idênticos aos do grupo selvagem de cães, porém a diferença foi atribuída a décadas de endogamia entre a população cativa.

Raro "cachorro cantor", considerado extinto há 50 anos, reaparece na natureza
Foto: (reprodução/ internet)

Uma descrição do artigo do jornal, que foi publicado no PNAS, afirma: “Nós fornecemos evidências baseadas em DNA para uma relação ancestral entre cães selvagens das montanhas (HWD) e NGSD em cativeiro, sugerindo que a população fundadora do NGSD não é, de fato, extinta e que o HWD deve receber recursos para os esforços de conservação para reconstruir esta população canina única.

A pesquisadora Elaine Ostrander disse: “Eles parecem mais relacionados a uma população de novos cães cantores da biologia da conservação, descendentes de oito cães trazidos para os Estados Unidos há muitos, muitos anos atrás.”

Os cães de conservação são super endogâmicos; (isso) começou com oito cães, e eles foram cruzados entre si, cruzados e cruzados entre si por gerações, então eles perderam muita diversidade genética.

Os cães selvagens têm uma sobreposição genética de 70 por cento com os animais em cativeiro, relata o 9News.

O novo grupo foi descoberto em 2016 perto de uma mina de ouro e cobre em Papua.

Um esforço para proteger o ecossistema ao redor da mina permitiu que os cães sobrevivessem.

Os ultrassons mostram que o lamento do cachorro “cantando” é semelhante ao canto da baleia-jubarte, de acordo com o zoológico de San Diego.

Leia também: Um sem-teto tem uma mudança de vida ao encontrar uma obra de arte rara do ‘Bambi’ da Disney em uma lata de lixo.

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: Mirror