Azuis mais azuis e pretos mais pretos? Como a ciência está aprimorando as cores

ANÚNCIO

Foi o azul brilhante e iridescente da borboleta morfo que inspirou Andrew Parnell e seus colegas. Atingidos pela capacidade natural do inseto de produzir tons vibrantes, os físicos e químicos começaram a investigar como eles também podiam produzir cores atraentes – não com corantes, mas alterando a estrutura do próprio material. 

Poderíamos fazer esses refletores realmente legais, muito parecidos com as borboletas, imitando como a natureza os faz”, diz Parnell, cujo laboratório na Universidade de Sheffield, na Inglaterra, estuda cores que abrangem o arco-íris.

ANÚNCIO

Um pigmento produz cor ao absorver tudo, exceto um comprimento de onda específico de luz. Em contraste, as cores produzidas pela alteração do arranjo das moléculas refletem apenas um comprimento de onda específico. Parnell chama isso de ciência do controle da luz.

Os pigmentos azuis raramente ocorrem na natureza. Mas cerca de 4.800 milhas a oeste do laboratório de Parnell, na Oregon State University, o cientista de materiais Mas Subramanian descobriu um novo pigmento azul – por acaso. 

Procurando por um material magnético que pudesse armazenar eletricidade e ser usado em computadores, Subramanian e seus alunos de pós-graduação colocaram uma mistura dos elementos metálicos ítrio, índio e manganês em uma fornalha e ficaram surpresos ao ver que haviam criado uma substância azul brilhante .

ANÚNCIO

Ele o chamou de YInMn, a partir dos símbolos dos elementos.

1. Preto extremo

Azuis mais azuis e pretos mais pretos? Como a ciência está aprimorando as cores
Foto: (reprodução/ internet)

O pigmento superpreto mostrado aqui, feito pelo artista britânico Stuart Semple, é usado em pinturas acrílicas. Os revestimentos superpretos absorvem quase toda a luz visível, quase como um buraco negro. 

Eles fazem os objetos tridimensionais parecerem planos. O famoso Vantablack foi usado para revestir um veículo de luxo e relógios, mas um preto ainda mais preto foi feito no ano passado pelo MIT

2. Azul extremo

Azuis mais azuis e pretos mais pretos? Como a ciência está aprimorando as cores
Foto: (reprodução/ internet)

Chamado de YInMn (pronuncia-se yin-min), é o primeiro novo pigmento azul descoberto nos últimos 200 anos. A cor vívida é surpreendentemente eficaz em refletir o calor, tornando-a útil para manter os edifícios frios.

3. Extremamente rosa

Azuis mais azuis e pretos mais pretos? Como a ciência está aprimorando as cores
Foto: (reprodução/ internet)

O pigmento rosa fluorescente foi criado pela Semple, que fabrica materiais de arte e os vende online.

4. Extrema laranja

Azuis mais azuis e pretos mais pretos? Como a ciência está aprimorando as cores
Foto: (reprodução/ internet)

Fabricado pela Shepherd Color Company, este RTZ Orange também é bastante verde – isto é, livre de componentes tóxicos como chumbo e cromato.

5. Extremo amarelo

Azuis mais azuis e pretos mais pretos? Como a ciência está aprimorando as cores
Foto: (reprodução/ internet)

Assim como o RTZ Orange, o NTP Yellow é feito pela Shepherd Color e é usado para dar aos revestimentos e plásticos uma cor amarela vibrante e durável.

Leia Também:Injeções de proteínas nos testículos podem tratar a infertilidade masculina

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: National Geographic

ANÚNCIO