Como os adultos aprendem um novo idioma

ANÚNCIO

Aprender línguas é uma brisa para crianças pequenas, mas assim que essa janela de oportunidade se fecha, torna-se notoriamente difícil. Agora, os cientistas espanhóis lançaram mais luz sobre como contornar isso.

Embora se pense que a linguagem é especializada no lado esquerdo do cérebro, os pesquisadores descobriram que o lado direito também ajuda no aprendizado de um novo idioma quando adulto, fornecendo mais evidências da notável flexibilidade do cérebro.

ANÚNCIO

“O hemisfério esquerdo é amplamente considerado como mais ou menos programado para a linguagem, mas há muitas evidências de que não é tão simples assim”, diz Kshipra Gurunandan do Basque Center on Cognition, Brain and Language, autor principal de um artigo publicado no Journal of Neuroscience.

Isso é visto, por exemplo, na natureza imprevisível do comprometimento da linguagem e da recuperação após dano cerebral em qualquer um dos hemisférios, especialmente em pessoas que são multilíngues.

Como os adultos aprendem um novo idioma
Foto: (reprodução/ internet)

Gurunandan e seus colegas observaram que os adultos podem memorizar listas de palavras estrangeiras ou sem sentido, mas lutam para distinguir ou pronunciar sons ou tons estrangeiros. Eles raciocinaram que essa dificuldade poderia surgir de aspectos não linguísticos e sensório-motores da linguagem.

ANÚNCIO

“Ler, ouvir e falar ativam regiões comuns da ‘linguagem’ no cérebro”, explica Gurunandan, “mas também envolvem as regiões visuais, auditivas e motoras, respectivamente, e queríamos estudar as consequências para o aprendizado da linguagem.”

Para testar isso, eles recrutaram 48 falantes nativos de espanhol saudáveis ​​com idade entre 17 e 60 anos em escolas de idiomas. O estudo consistiu em dois experimentos: um comparou alunos de nível básico e avançado da língua basca e o segundo examinou nativos hispano-bascos antes e depois de um curso de três meses de inglês de nível intermediário.

Os voluntários realizaram tarefas de linguagem envolvendo leitura, escuta e fala em seus idiomas nativos e novos, enquanto seus cérebros eram escaneados por meio de ressonância magnética funcional (fMRI).

Ao falar em regiões de linguagem ativadas principalmente no hemisfério esquerdo, os resultados mostraram uma variação muito maior na qual o hemisfério foi ativado durante a leitura e, em menor grau, durante a audição. A mudança foi mais aparente em alunos mais avançados.

Como os adultos aprendem um novo idioma
Foto: (reprodução/ internet)

Isso sugere que ler e ouvir são mais flexíveis durante a vida adulta, o que os torna mais fáceis de aprender à medida que as pessoas se tornam mais proficientes, de acordo com Gurunandan. Isso também pode explicar por que os adultos muitas vezes conseguem entender um novo idioma, mas têm dificuldade para falar com o mesmo nível de habilidade.

É impressionante, ela acrescenta, que a mudança de uma língua nativa para uma nova que está sendo ativamente aprendida recruta o hemisfério esquerdo do cérebro, mas se lateraliza para ambos os hemisférios com maior proficiência, o que também pode ajudar as pessoas a separar as duas línguas.

Os pesquisadores dizem que esses insights “têm importantes implicações teóricas e práticas” para a compreensão das bases neurais da linguagem, dos pacientes clínicos e do aprendizado da linguagem na população em geral.

Leia Também:Injeções de proteínas nos testículos podem tratar a infertilidade masculina

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: Cosmos

ANÚNCIO