Como ver o que há do outro lado de um buraco de minhoca sem realmente passar por ele

ANÚNCIO

Os buracos de minhoca são objetos incrivelmente fascinantes, mas também completamente hipotéticos. Simplesmente não sabemos se eles podem realmente existir em nosso universo.

Mas novos insights teóricos estão mostrando como podemos ser capazes de detectar um buraco de minhoca – a partir de um spray de partículas de alta energia emitida no momento de sua formação.

ANÚNCIO

É fácil descrever um buraco de minhoca. É um túnel através do espaço que se conecta a pontos distantes em um (espero) caminho mais curto. Em outras palavras, é o atalho definitivo da natureza. E embora esse tipo de configuração seja fácil de escrever nas equações da relatividade geral (nosso entendimento atual da gravidade e como revelamos a possível existência de buracos de minhoca), é muito mais difícil fazer funcionar.

Ao longo das décadas, os cientistas descobriram uma série de maneiras possíveis de construir buracos de minhoca reais. Mas toda vez que o fazem, alguma pequena peculiaridade da física mal compreendida entra em cena para arruinar a festa.

Por exemplo, buracos de minhoca são fantasticamente instáveis ​​- assim que um único fóton viaja pela garganta, todo o buraco de minhoca se rasga na velocidade da luz, tornando-o menos útil para fins de atalho.

ANÚNCIO

Para estabilizar um buraco de minhoca, você precisa basicamente de uma fonte de massa negativa – matéria com peso negativo. Isso não parece ser possível, e por isso os teóricos estão meio presos.

Mas, enquanto isso, pode ser possível encontrar buracos de minhoca, e um novo artigo publicado no jornal pré-impresso arXiv descreve uma técnica possível.

É assim que funciona. Digamos que uma partícula caia em um buraco de minhoca recém-formado. Ele pode, se tiver energia alta o suficiente, decair espontaneamente em duas novas partículas.

Uma dessas partículas pode escapar pelo buraco de minhoca, enquanto a outra pode ser refletida de volta pela abertura, devido à estranha física que opera dentro desses túneis.

Então, uma nova partícula entra no buraco de minhoca e colide com a partícula refletida. O autor do artigo descobriu que essa colisão pode atingir energias arbitrariamente altas. Isso significa que o que vemos na nossa extremidade do buraco de minhoca pode ser uma chuva de radiação de alta energia – uma explosão inconfundível de energia.

Agora que sabemos que esses tipos de chuva de partículas são possíveis abrindo buracos de minhoca, podemos olhar ao redor do universo para ver se alguma coisa se encaixa no perfil … e se podemos viajar até eles.

Leia também: A ciência prova que você realmente soa melhor quando canta no chuveiro

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: Universe Today

ANÚNCIO