O que você acha de gaiola para bebês?

Foto: (reprodução internet)

Você provavelmente se lembra de sua mãe ser um pouco mais liberal em relação à segurança infantil do que os jovens pais de hoje. Talvez você tenha vagado sem rumo pela vizinhança até o jantar, ou andado em um assento de carro não tão seguro (ou, se você realmente teve sorte, uma “plataforma de viagem”).

Mas os novos pais de uma ou duas gerações atrás não tinham nada a ver com as ousadas mães londrinas da década de 1930: elas literalmente penduravam seus bebês pela janela.

As “gaiolas para bebês” penduradas entraram em voga depois de serem inventadas em 1922, mas Gothamist relata que sua origem realmente começou com o livro de 1884, The Care and Feeding of Children, do Dr. Luther Emmett. Em seu livro, Emmett descreve cuidadosamente como os bebês precisam ser “arejados”.

Leia também: Cientistas criam seu filho bebê com um chimpanzé

Mas o que uma mãe amorosa e moradora de apartamento poderia fazer? Respondendo à falta de casas com espaço ao ar livre, algumas comunidades de Londres começaram a equipar as janelas com gaiolas infantis para os bebês ficarem.

Como qualquer pessoa que já procurou um apartamento na cidade certamente sabe, um terraço ou deck pode ser uma ótima descoberta. Mas essas caixas ameaçadoras, semelhantes a galinheiros, nos lembram de uma lista enganosa de imóveis.

Dê uma olhada:

O que você acha de gaiola para bebês?
Foto: (reprodução/internet)
O que você acha de gaiola para bebês?
Foto: (reprodução/internet)

Se as gaiolas fossem de fato seguras (embora presumamos isso também em relação aos nossos aparelhos de ar condicionado), talvez essas mães estivessem no caminho certo.

A ideia de que os bebês precisam de ar fresco persiste, independentemente da ciência por trás disso, na Escandinávia, os pequenos em carrinhos de bebê costumam estacionar do lado de fora de restaurantes enquanto suas mães fazem uma pausa dentro de casa.

Ainda assim, apostamos que a maioria das mães prefere caminhar ao redor do quarteirão por enquanto.

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: The good house keeping