George R.R. Martin, autor de Game of Thrones, não consegue mais vivenciar a Comic Con da mesma maneira – e isso o deixa arrasado

ANÚNCIO

O autor de “Game of Thrones”, George R.R. Martin, é um membro antigo da comunidade de fantasia e ficção científica e, como tal, fez questão de participar de muitas convenções de fãs – Worldcon, DragonCon, Bubonicon e San Diego Comic-Con.

Martin disse aos fãs, em uma entrevista, que além de aprecer na  primeira convenção de quadrinhos em 1964, ele foi a primeira pessoa a comprar um ingresso. Martin tinha 16 anos.

ANÚNCIO

Mas tudo isso mudou.

Desde a estréia da adaptação da série “Game of Thrones” pela HBO, Martin se tornou uma celebridade de boa-fé. Infelizmente, ele mal consegue comparecer a um dos Cons sem ser abordado pelos fãs do programa “Game of Thrones” e de sua série de livros original, “As Crônicas de Gelo e Fogo”.

Na New York Comic Con deste ano, a atriz Natalie Dormer lembrou de ter falado com Martin sobre essa mudança.

Ele estava falando sobre os primeiros dias, porque ele foi para San Diego quando era, você sabe, (risos) ele é tão velho“, explicou Dormer. “Acho que há uma pequena parte dele que é apenas puro geek e ele meio que sente falta de apenas ser capaz de andar por aí e se misturar com a multidão.”

ANÚNCIO

Durante a San Diego Comic-Con (SDCC) de 2014, Martin foi questionado sobre como era participar de cons agora, e Martin respondeu: “É ótimo, mas há uma vantagem nisso também, tenho que admitir.”

George R.R. Martin is bummed he can't go to Comic Con anymore - Business  Insider
Foto: (reprodução/ internet)

A verdade é que sinto falta de aspectos do que fazia na Comic Con. Não consigo mais andar no chão … e dentro de mim ainda há aquele garoto de 13 anos que quer levar aquela edição do Homem-Aranha para completar sua coleção.

Martin repetiu esses sentimentos em seu LiveJournal em julho de 2015, quando anunciou que iria pular o SDCC para ficar mais tempo em casa (esperançosamente trabalhando em seu próximo livro “As Crônicas de Gelo e Fogo”).

Verdade seja dita, San Diego se tornou opressora nos últimos anos. Sempre há bons momentos para encontrar os amigos e ficar com o elenco, mas não é como se eu pudesse andar mais pelo chão e procurar gibis antigos, como costumava fazer.

Embora Martin possa sentir falta dos velhos tempos, “Game of Thrones” se tornou um fenômeno global – algo com que qualquer escritor sonha.

Com mais dois livros muito aguardados em andamento, a jornada da fama está longe de terminar para Martin.

Leia também: A ciência prova que você realmente soa melhor quando canta no chuveiro

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: Business Insider

ANÚNCIO