O que nossas nuvens podem nos dizer sobre Vênus

ANÚNCIO

Pesquisadores no campo emergente da aerobiologia estão usando microorganismos varridos da atmosfera da Terra para sondar as perspectivas de vida nas nuvens de Vênus e em planetas que circundam outras estrelas.

Esses organismos não estão apenas na brisa que espalha poeira pelo solo. Organismos viáveis ​​foram encontrados em toda a estratosfera e podem se estender até a borda do espaço.

ANÚNCIO

Não sabemos onde a biosfera da Terra pára acima de nossas cabeças”, diz David Smith, aerobiologista do Ames Research Center da NASA, que foi um dos vários cientistas que abordou o assunto ontem no encontro virtual da American Geophysical Union. 

O que nossas nuvens podem nos dizer sobre Vênus
Foto: (reprodução/ internet)

“Parece que em todos os lugares em que coletamos amostras na atmosfera encontramos biomarcadores de vida.”

Não que seja sempre fácil obter essas amostras

Em baixas elevações, eles podem ser adquiridos colocando coletores de névoa no topo das montanhas, usando-os para peneirar as gotas de água das nuvens.

ANÚNCIO

Micróbios nessas gotículas inicialmente varreram a superfície da Terra pelo vento, diz Kevin Dillon, microbiologista da Universidade Rutgers. 

Uma vez no ar, eles usam as nuvens como uma estrada para pegar uma carona de uma parte do globo para outra.

Leia Também: Este truque brilhante vai devolver uma garrafa de champanhe à sua glória borbulhante

Alguns desses micróbios aerotransportados nem mesmo estão dormentes, diz Diana Gentry, uma astrobióloga da NASA Ames. Em vez disso, eles são metabolicamente ativos – embora, ela observa, os pesquisadores ainda não os tenham observado sendo tão ativos que se reproduzam quando no ar.

Mais acima, diz Smith, os pesquisadores usam um avião capaz de voar a uma altitude de 12.000 metros ou utilizam balões capazes de subir ainda mais. 

Eles coletam “detritos” biológicos e, em alguns casos, até micro organismos completos que podem ser alimentados de volta à vida.

O que nossas nuvens podem nos dizer sobre Vênus
Foto: (reprodução/ internet)

Mas até agora, Gentry diz, todos os organismos viáveis ​​encontrados lá em cima estão dormentes: o que não é surpreendente, porque a estratosfera é fria, seca e exposta à forte radiação solar. “Só vimos vida inativa”, diz ela.

Quanto ao nosso planeta?

Na Terra, ainda não há evidências de que a vida pode permanecer na atmosfera indefinidamente. 

“Todos os micróbios que são levantados voltam para baixo”, diz Smith. Mas isso não significa que deve ser o mesmo em Vênus, onde a atmosfera é diferente e muito mais densa que a nossa.

Além disso, diz Noam Izenberg da Universidade Johns Hopkins, os cientistas planetários estão começando a perceber que a superfície de Vênus pode nem sempre ter sido o inferno que é atualmente.

Em vez disso, pode ter passado bilhões de anos na temperatura certa para as águas superficiais. 

Isso significa que antes que os oceanos desaparecessem e a vida fosse extinta mais abaixo, ela pode ter encontrado seu caminho para as nuvens que agora cobrem a superfície do planeta.

Uma coisa que me deixa animado é a possibilidade de vida hoje nessas nuvens”, diz Izenberg.

O que nossas nuvens podem nos dizer sobre Vênus
Foto: (reprodução/ internet)

Cientistas planetários esperam ver um chefe de missão em Vênus para amostrar essas nuvens em um futuro não muito distante. 

Isso não seria apenas algo para agradar aos entusiastas de Vênus; também seria útil para cientistas que estudam exoplanetas, diz Gentry, porque mundos semelhantes a Vênus podem ser mais comuns do que mundos semelhantes à Terra.

Enquanto isso, quanto mais os cientistas aprendem sobre a vida na atmosfera da Terra, mais eles esperam entender o alcance do que pode ser possível em outro lugar.

Estamos procurando os limites da vida na Terra”, diz Dillon.

Traduzido e editado por equipe: Isto é Interessante 

Fonte: Cosmos Magazine 

ANÚNCIO