Os caranguejos de coco são o pior pesadelo de um pássaro

ANÚNCIO

Imagine que você é um pateta de pés vermelhos cochilando em um galho não muito alto de uma árvore. É noite em uma ilha no meio do Oceano Índico e você não pode ver muito do que está ao seu redor.

Então, da escuridão surge um monstro. Sua garra o agarra, quebrando ossos e o arrastando para o chão. Você não percebeu ainda, mas está condenado. A criatura quebra mais de seus ossos. Você luta, mas é um esforço infrutífero. 

ANÚNCIO

Logo os outros monstros cheiram seu sangue e convergem em seu corpo, rasgando-o nas próximas horas.

O monstro neste cenário de filme de terror é um caranguejo de coco, o maior invertebrado terrestre do mundo, que tem uma envergadura maior que um metro e pode pesar mais de quatro quilos.

Mas esta não é uma página de um roteiro. O biólogo Mark Laidre, da Universidade de Dartmouth, testemunhou essa cena em março de 2016, durante uma expedição de campo de dois meses para estudar os caranguejos no arquipélago de Chagos.

ANÚNCIO
Os caranguejos de coco são o pior pesadelo de um pássaro
Foto: (reprodução/ internet)

Laidre, especialista em caranguejos eremitas, estava “morrendo de vontade de estudar” seus primos enormes. Pouco se sabe sobre os caranguejos, observa ele. Um estudo no início deste ano analisou a força que uma garra de caranguejo do coco pode exercer em laboratório. Mas, diz ele, “ainda não há um único artigo sobre como eles abrem um coco”.

Ele viajou até um local remoto no Oceano Índico porque queria estudar os caranguejos em um lugar onde poucas pessoas interfeririam em seus comportamentos naturais. Laidre tinha ouvido histórias de que caranguejos do coco matavam ratos e, mais tarde, os testemunhou devorando os roedores nas ilhas. 

Claramente está em seu repertório comer algo grande”, diz ele. E quando ele fez um inventário das tocas dos caranguejos, ele encontrou a carcaça de um pateta quase adulto de pés vermelhos em uma. “Na época, eu achava que era algo que tinha morrido … e o caranguejo tinha se arrastado para lá”, lembra ele.

Mas então, no meio da noite, ele viu um caranguejo atacar um pássaro dormindo em uma árvore e conseguiu assistir a parte do evento em filme. “Não tive coragem de filmar cinco caranguejos-do-coco destruindo o pássaro mais tarde”, diz ele. “Foi um pouco opressor. Tive problemas para dormir naquela noite.

Os caranguejos de coco são o pior pesadelo de um pássaro
Foto: (reprodução/ internet)

Os caranguejos de coco vivem apenas em algumas das ilhas. Os pássaros podem viver em qualquer um deles, mas suas populações variam de ilha para ilha. Assim, Laidre inspecionou as ilhas, percorrendo transectos e contando caranguejos e ninhos de pássaros.

“O padrão que encontrei em toda a ilha foi pronunciado”, escreveu Laidre em 1º de novembro em Frontiers in Ecology and the Environment. Em Diego Garcia, por exemplo, um transecto de 15 quilômetros revelou 1.000 caranguejos e nenhuma ave nidificando.

Em contraste, a Ilha Oeste livre de caranguejos tinha uma abundância de ninhos terrestres de noddies de nidificação.

Laidre suspeita que os caranguejos do coco agem como um “governante do atol”, impedindo que espécies de pássaros que fazem ninhos no solo encontrem lares em ilhas cheias de caranguejos. 

Em outras ilhas com grandes populações de pássaros, esses pássaros podem ajudar a manter suas ilhas livres de caranguejos comendo caranguejos-coco juvenis, evitando que eles colonizem lá.

É fácil simpatizar com a presa”, diz Laidre, “mas, ao mesmo tempo, esse tipo de ação tem muitos papéis ecológicos”.

Leia Também:Injeções de proteínas nos testículos podem tratar a infertilidade masculina

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: Science News

ANÚNCIO