A Árvore Solitária de Ténéré

ANÚNCIO

Como as árvores são tão abundantes, é raro que uma só se torne conhecida. Algumas árvores se distinguem devido ao seu significado histórico. A Árvore Bodhi na Índia, por exemplo, é onde Buda alcançou a iluminação; e a Liberty Tree no século 18 em Boston era um local de encontro para os colonos americanos que se opunham ao domínio britânico.

Algumas árvores também merecem destaque por serem recordistas. O estado da Califórnia abriga várias dessas árvores: a mais alta que se conhece, uma sequóia de 155,5 metros chamada Hyperion; a maior, a sequóia gigante de 1.450 metros cúbicos chamada General Sherman; e o mais antigo, um pinheiro bristlecone de 4.800 anos conhecido como Matusalém. 

ANÚNCIO

É difícil ter certeza de qual árvore individual é a mais remota. Por várias décadas, essa distinção pertenceu à Árvore de Ténéré, uma acácia isolada na vasta e hostil extensão do Deserto do Saara. No entanto, em 1973, essa árvore encontrou um fim extremamente improvável.

Também referida pelo francês ‘arbre du Ténéré’, há milênios a árvore fazia parte de uma floresta considerável. Gradualmente, a mudança climática reduziu a área a um deserto enquanto as árvores morriam. A região do Ténéré tornou-se uma das áreas mais inóspitas, com pouca vegetação e uma precipitação média anual de apenas 2,5 cm.

 A água acabou sendo escassa até no subsolo. Por volta do início do século 20, um pequeno grupo de acácias com espinhos e flores amarelas era tudo o que restava das árvores do Ténéré. Com o tempo, todas morreram, exceto uma, deixando-a como a única árvore sobrevivente em um raio de 400 quilômetros.

ANÚNCIO

Com isso, a árvore de três metros de altura foi uma das poucas interrupções na paisagem de areia. Visível de uma distância considerável, tornou-se um marco para os viajantes do deserto. Sua capacidade de sobreviver em um pedaço de areia implacável era um mistério no início, mas os transeuntes raciocinaram que devia haver uma fonte de água. 

Durante o inverno de 1938-1939, os militares franceses coordenaram a escavação de um poço próximo para aumentar a utilidade do local. Os trabalhadores descobriram que o sistema radicular da árvore estava extraindo água de uma fonte de 35 metros abaixo do solo. 

Enquanto isso, em algum momento durante ou após a construção do poço, um caminhão no local bateu na árvore e quebrou um de seus galhos principais. A árvore conseguiu sobreviver ao impacto, embora sua forma anteriormente distinta em ‘Y’ tenha sido perdida.

A Árvore Solitária de Ténéré
Foto: (reprodução/ internet)
 

Nas décadas que se seguiram, as caravanas que transportavam grãos, sal e tâmaras pelo Saara muitas vezes paravam para tirar água desse poço. A árvore era tão essencial para a navegação dos moradores no grande e árido deserto que danificá-la era inconcebível. 

Como Michel Lesourd do Serviço Central de Assuntos do Saara escreveu depois de ver a árvore em 1939, “a acácia se tornou um farol vivo”. Ele apareceu em mapas em grande escala do deserto como um dos únicos pontos de referência.

Na década de 1970, muitas das caravanas que passavam eram caminhões em vez de camelos. Em 1973, um desses caminhões estava sendo dirigido por um líbio – supostamente bêbado – e, apesar da extensão plana e aberta, ele perdeu o controle de seu veículo. 

O caminhão saiu da estrada e bateu na única árvore em toda a região. Este segundo impacto com um automóvel foi mais do que a árvore solitária de Ténéré poderia suportar, e ele quebrou de seu tronco. Foi estimado em 300 anos.

Em novembro daquele ano, os restos da lendária árvore foram recuperados e transportados por outro caminhão para o Museu Nacional do Níger na capital de Niamey, onde ainda reside hoje. No local original da Árvore de Ténéré, um artista anônimo construiu um monumento de metal feito de tubos reciclados, barris de combustível e peças de automóveis descartadas. 

Portanto, o local ainda é um marco – pelo menos até que o próximo motorista de caminhão bêbado chegue.

Leia Também:Desvendando segredos universais

Traduzido e editado por equipe Isto é Interessante 

Fonte: Daam Interesting

ANÚNCIO